sexta-feira, 29 de junho de 2012

Folhas novas brancas. Pintar. Rabiscar.




Tenho várias folhas brancas
novinhas em folha, pra eu
rabiscar, pintar, mudar. Eu só
tenho 1 vida e por que tanto
medo? Apenas uma! Que eu
faça dessa ideia minha loucura
mais lúcida.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Tire o tecido preto da janela, menino.


Ouvindo um amor noturno, aqui: http://www.youtube.com/watch?v=JcGtKojv5UY


Tire o tecido preto da janela, menino.
Caminhe com novas esperanças, filho.
Deixe de crucificar sonhos, querido.
Tente meter medo em seus medos, menino.
Sente sobre a janela, passarinho.
Voe nas entrelinhas das quedas, querido.
Pense como um menino, filho.
Veja riscos sem fins coloridos, querido.
Abrace o frio como um gato, menino.
Rasgue desejos sem sal, filho.
Pouse em novas janelas sem tecidos, passarinho.
Veja um querido garoto na janela, menino.
Tente sem paciência, querido
As razões de tanta pressa, menino.


=_)   Às vezes a poesia flui em mim como uma água em um rio...naturalmente. Eu quero escrever sobre muitas coisas. Sonhar com muitas coisas. Viver muitas coisas. A vida sempre nos surpreende de alguma forma. Que eu continue todos os meus dias incendiado pelo amor, que eu acredito; pelos sonhos que alimento todos os dias e pela felicidade de sempre seguir meu coração. Siga sempre seu coração, mesmo que no momento você ache que ele não sabe de nada e que o seu coração é muito bobo. Pare com isso. Tenha fé em você e no seu caminho. Faça valer a pena...sem medo! Tenha coragem de caminhar pelos caminhos de seu coração. Siga sendo você mesmo! 

Eu não sei até aonde alguma coisas da minha vida vão dá, mas isso não importa. O importante pra mim é o momento de agora. Esse momento de felicidade. Eu sei que o pra sempre não existe, mas sei que muitas coisas duram um certo período e eu quero viver esse período incendiado, intensamente, loucamente e com todas as minhas forças! Amém!

Fé!

segunda-feira, 11 de junho de 2012

domingo, 10 de junho de 2012

Nubes! Yo creo!

Uma estrela pode ser vista em um céu branco? Talvez! Mas na escuridão que ela brilha, mostra o seu valor e nos fascina. Faça da fraqueza a força. Da fé o seu caminho e do caminho os seus passos. Porque sozinho você não está! Ele vai contigo aonde você for. Ele vai contigo até mesmo onde você acredita que nunca iria, para vencer, ou desistir. O que você faz o mundo manda de volta para você. Deus me abriu portas...muitas portas...Indo...


sexta-feira, 8 de junho de 2012

Asas de ventos

“OS vento daqui são os
Mesmo dali. O céu de hoje,
Talvez seja o céu de ontem.
Bons, ou ruins, os ventos
São almas cantando. São
Zumbidos de marés em nossos
Ouvidos. E como uma concha
Deixamos nos levar por esse
Cordão de felicidade. Felicidade
Suavizada de sensações leves.
Como se de alguma forma
Sentir o vento é estar com ele:
Voando. Não ouves? Tuas asas
Batem. Você canta imensamente.
Um cântico de raios solares
Todos pingados de lua.
Lua, sua, minha, nossa.
A vida é um sopro nos
Nossos corações.
De quê?
Cada um é quem sabe!

Lima: 28/03/2011 22h37.

What? Maybe time!

Eu não sei! Nem sempre é bom começar um texto assim. Talvez eu tenha inúmeras coisas para expor, para tocar profundamente, mas o que permanece em minha cabeça e  preenche meu tempo é: eu mudei! É isso! Estou com medo de me perder. Vivi muito tempo perdido e como isso me custou! Vivi tempos de um corpo cego, fraco, sem princípios e sem alma. Estou lutando agora para ser eu mesmo a cada segundo, a cada não, ou sim. Os amigos, a moda, o mundo, o Universo exige alguém perfeito, lindo, inteligente, filósofo romântico e etc etc, mas o mundo e os outros deixaram de me interessar tanto. Estou preocupado comigo. Quero preservar o que mais gosto, as coisas me deixam feliz e bem! As pessoas envolvidas em mim e que me completam. Chega de viver em volta de pessoas mesquinhas, que não querem que eu seja eu mesmo e que as acompanhe, como um boneco ridículo. Estou orgulhoso de mim! A gente tem que ter orgulho do que somos e como somos. Orgulho do nosso olhar, dos nossos sonhos e medos! Adoro chá de hortelã, café com leite, melancia no fim da noite e de uma música feliz - e nem sempre entendo a letra.

Observo muito as pessoas. Esses humanos que falam o que são, mas só o são da boca para fora. Pessoas que abrem a boca para dizer que são justos, honestos, mas cometem as mais ridículas injustiças; pessoas que estufam o peito: sou paciente, essa é a minha virtude, mas explodem suas mais diversas formas de violência em pequenas e simples situações em que o diálogo deveria ocupar espaço.

Estou me amando, cada vez mais. Estou deixando essa ideia ridícula de ouvir as pessoas e mudar para agradá-las isso pode parecer ridículo, mas às vezes fazemos isso e não percebemos; fazemos isso pela simples palavra: sociabilidade.

O que esse texto pretende? Eu não sei! Acho que era registrar a ideia que de mudei; mas mudei para dentro de mim, dentro do que sou! Pensei em falar sobre amor, mas talvez isso seja para outro dia, né? O amor tirou minha poesia, minhas palavras. Não que eu seja um poeta, mas um amador das letras, que agora se sente ridículo e pequeno para poetizar...pelo menos por enquanto!!!!

De algum ano que não lembro!

(*_*)